Por que Business English é tão importante?

Falar inglês é importante, mas se você precisar utilizar no trabalho ou negócios, será que um ensino mais generalista consegue te atender?
Confira porque Business English é tão importante.

Ter um bom nível de inglês é sempre um diferencial em um processo seletivo e no dia a dia dos negócios, independentemente da carreira que se queira seguir. Mas, em muitos casos, o inglês que se aprende em cursos convencionais não é suficiente para o que empresa busca.

Nesse caso, o candidato necessita de um vocabulário mais específico, que o deixe apto a participar de reuniões, conferências, ler e elaborar propostas de negócio e até mesmo realizar viagens internacionais a trabalho. O que ele precisa é de um curso de inglês para os negócios, o Business English.

O objetivo desses cursos é explorar situações do cotidiano empresarial, ampliando o vocabulário do aluno, que aprende a fazer entrevistas de emprego, elaborar propostas, cartas de apresentação, participar de reuniões de negócios e prospectar clientes – tudo em inglês, claro.

A cada aula, o estudante aprende como se referir de modo adequado aos diferentes departamentos da empresa, familiariza-se com os termos específicos da sua área e também aprende as palavras e formas de expressões mais apropriadas para cada situação.

Que método escolher?

Nem sempre o corre-corre do cotidiano permite incluir mais um compromisso na agenda. Por isso, deve-se optar por cursos que facilitem sua rotina de horários e que promovam dinâmicas de ensino que tenham relevância ao aluno

Outra vantagem é poder acessar o conteúdo também em plataformas móveis, na Embassy por exemplo, a plataforma utilizada é do próprio material didático e pode ser acessada a partir de smartphones e tablets, o que permite que o estudante aproveite aquelas “horas perdidas” no caminho para o trabalho ou enquanto espera o início de uma reunião para praticar inglês.

Reforço na prática

Para além da sala de aula, seja ela virtual ou física, é importante reforçar a prática. A internet é uma importante aliada nessa hora. Crie o hábito de ler jornais e revistas estrangeiros, assista a filmes e seriados com a legenda em inglês – ou sem legenda alguma -, busque programas de rádio e podcasts ligados à sua área e escute-os com frequência.

Se o problema é timidez, a solução é soltar a língua. Participe de chats, proponha aos amigos um encontro semanal para conversação, assim todos compartilham o que sabem e ensinam uns aos outros mutuamente. Há também algumas escolas que promovem atividades curtas como cursos de conversação e imersões.

Procure, na sua cidade, cafés, restaurantes e mesmo bares de hostels que costumam ser frequentados por estrangeiros ou encontros de grupos em sua cidade de comunidades como o Couchsurfing, o que facilita o contato com viajantes estrangeiros.

Se você tem curiosidade em participar de uma aula ou entender mais sobre o tema, manda um email pra gente ou passa aqui pra tomar um café quentinho! 🙂

Como preparar os jovens para o mercado do futuro.

Aos 13 anos de idade, após assistir à série Cosmos, de Carl Sagan, o estudante brasileiro Cristian Westphal decidiu criar um blog para falar de ciências. Anos depois, ele ajudou a criar o site Ciência e Astronomia, que organiza encontros, faz transmissões e já tem mais de 400 mil curtidas nas redes sociais. Com a transmissão comentada sobre a superlua, o Ciência e Astronomia conseguiu a proeza de ter uma audiência maior do que a transmissão da NASA (Agência Espacial Norte-Americana).

Alunos brasileiros e de outros países têm ganhado destaque nas mídias por conseguirem criar inovações enquanto ainda são muito jovens. Estes jovens, no entanto, ainda não representam um número significativo. Em geral, eles são estimulados a desenvolver sua curiosidade, criatividade, empreendedorismo, protagonismo, entre outras competências, atitudes e valores que são mais importantes a cada dia que passa.

Estamos entrando na quarta revolução industrial e a maioria de nós está viciada no uso de celulares e redes sociais. A inteligência artificial, os robôs, a nanotecnologia, os drones, o conceito de big data, entre tantos outros, estão causando mudanças significativas nas indústrias e na forma como nos comunicamos, nos relacionamos e vivemos.

O problema é que, em geral, as famílias e os professores não têm acompanhado o ritmo das transformações. Enquanto pesquisas como a do Fórum Econômico Mundial defendem que cerca de 65% das crianças e jovens de hoje exercerão profissões que ainda não existem, os modelos e metodologias educacionais estão ultrapassados. Os professores reclamam da falta de interesse dos alunos e os alunos reclamam que não compreendem a relevância do que aprendem na escola para suas vidas.

Como, então, as famílias e as escolas podem virar o jogo e preparar os alunos para um mundo de trabalho que se torna diferente a cada dia? Uma coisa é certa e urgente: os currículos e as metodologias de ensino precisam incorporar, constantemente, inovações que estimulem a formação integral de jovens protagonistas, para que estejam prontos para os desafios atuais e futuros.

Para além do empreendedorismo, é preciso fomentar, desde cedo, competências que vão além dos conteúdos das áreas tradicionais de conhecimento. Para explorar um pouco sobre o assunto, conversei com colegas especialistas que dedicam suas carreiras ao debate e à construção coletiva de um novo tipo de educação.

Soluções práticas para que escolas e pais possam desenvolver habilidades dos jovens.

Estratégias para preparar crianças e jovens para o futuro mercado de trabalho

– Encorajar crianças a explorar novos interesses e a encontrar propósitos em pequenos projetos;

– Ensinar os estudantes a acolher a diversidade de ideias e comportamentos, e a aceitar feedbacks (retornos avaliativos);

– Encorajar a execução de ideias. Inovações não precisam ser grandiosas, podem ser pequenas implementações que mudam processos e fazem a diferença em um ambiente de trabalho e na comunidade onde vivem;

– Utilizar a escrita e a arte para lidar com emoções e exercer empatia;

– Dar espaço para que os estudantes explorem e sejam capazes de imaginar;

– Criar situações que exponham essas crianças a inovações, como visitas a museus, acesso a leituras e cursos sobre temas atuais;

– Reconfigurar a relação entre professores e estudantes, com o professor sendo mais um mediador inspirador do que um “chefe”.

Em resumo, não temos, ainda, uma resposta definitiva para que tipo de escola conseguirá formar crianças e jovens para o futuro do mercado de trabalho, mas há algumas macrotendências que podemos observar. As famílias e escolas precisam incentivar nossos jovens a serem protagonistas da transformação de si mesmos, de sua educação e suas realidades. Trabalhando em projetos que proponham mergulhos profundos em problemas reais e sociais, jovens podem, por exemplo, se mobilizar e articular melhorias em suas escolas e comunidades. Nossas didáticas de ensino precisam se modernizar, assim como as escolas, para fazer com que crianças e jovens voltem a se encantar com o processo de aprendizagem e com todas as oportunidades que suas vidas podem lhe proporcionar.

Por esta razão o Getting Ready – nosso curso de inglês para jovens – buscar além de ensinar o inglês, promover o desenvolvimento de habilidades tão importantes e que farão a diferença na construção do eu profissional e pessoal deste indivíduo.

5 estratégias para alcançar uma promoção no trabalho.

promoção é uma grande forma de reconhecimento que um profissional pode ter. Ela significa que você superou todos os desafios e está pronto para outros – novos e maiores. Além disso, ela melhora sua renda e seu status  profissional. Claro que ser promovido não é tarefa fácil, mas alguns pontos são chave para isso. Confira!

5 dicas para obter uma promoção

1. Faça marketing pessoal

Este é o primeiro tópico da lista porque muitas pessoas acham que ele não é importante ou simplesmente não sabem fazê-lo. Talvez haja uma certa confusão conceitual. Marketing, para mim, é mercadologia. Ou seja, é estudo do mercado – e não publicidade e propaganda. Portanto, quando falo em marketing pessoal, estou falando de estratégias para alcançar resultados e não de propaganda enganosa.

Portanto, fazer marketing pessoal é avaliar onde você está, para onde quer ir e quais são os caminhos possíveis. Isso mesmo. Estou falando de departamentos, cargos e pessoas, de estudar as trilhas de carreiras disponíveis e seus respectivos atores, não só na sua organização, mas no mercado como um todo.

2. Amplie sua network

Uma vez que tenha estabelecido as melhores trilhas, faça uma análise mais profunda dos personagens que deve encontrar pelo caminho. É preciso cultivar um relacionamento saudável com eles. Não se trata de bajulação ou de “fazer média”, mas de construir relações profissionais de qualidade. Não é preciso intimidade, basta compartilhar assuntos, tarefas e responsabilidades profissionais.

Engajar-se em diferentes projetos, ações de voluntariado, comissões extraordinárias, brigadas de incêndio e até passear um pouco pelos corredores são estratégias que podem ajudar a ampliar sua rede de contatos.

3. Supere suas metas

De nada adianta um bom planejamento de marketing e uma ampla rede de network se você não entregar resultados. Isso, sim, seria propaganda enganosa. E quanto maior for sua rede, maior será a repercussão dela! Portanto, produzir bons resultados é a melhor maneira de conquistar a atenção da alta direção da empresa e do mercado como um todo, inclusive de concorrentes, fornecedores, ou clientes.

4. Atenda às expectativas

A grande dificuldade aqui é que as expectativas nunca estão claras na mente dos envolvidos. Isso porque elas vão além das metas e são subjetivas, incluindo até comportamentos, atitudes, relacionamentos. Para saber o que esperam de você, converse sobre isso, pergunte. É preciso o que seus clientes, seus colegas e seu chefe estão pensando.

5. Invista em educação sempre!

Essa é a forma mais clara de conseguir uma promoção. Aprender novas ferramentas e metodologias que podem maximizar seu trabalho, sem dúvida é o caminho mais coerente. Invista em cursos de especialização na sua área, não necessariamente graduações ou pós, mas cursos livres, cursos online, cursos de idiomas e tantas outras vertentes que irão agregar ao seu currículo e torná-lo mais valioso!

Espero que as dicas acima te ajudem a conquistar o sucesso que você merece!

*post original no site Vagas.com

Tem vontade de morar nos EUA? Confira aqui 5 dicas pra você realizar esse sonho e ir para a terra do tio Sam!

De acordo com informações do Itamaraty, há mais de 1,3 milhão de brasileiros vivendo na terra do Tio Sam, sendo que 300 mil deles moram na Flórida. Estima-se que esse número é maior, afinal, não leva em conta o fluxo migratório ilegal. Essas pessoas resolveram migrar em busca de qualidade de vida, segurança, bons salários e educação de excelência. Se você também tem esse desejo, aqui estão algumas dicas pra te ajudar a planejar e realizar o sonho de morar fora.

1 – Speak English

Tentar a vida nos Estados Unidos sem saber inglês é muito arriscado. Antes de imigrar, o ideal é que você estude o idioma e adquira pelo menos os conhecimentos básicos. Quem não pode pagar por aulas particulares pode contar com

2 – Prepare um currículo americano

Para conseguir uma oferta de trabalho nos EUA, primeiro é preciso preparar um currículo ao molde americano. O documento deve incluir Personal information (informações pessoais), Resume (resumo), Professional experience (experiência profis

3 – Seja um imigrante legal

Ser um imigrante legal nos Estados Unidos é um fator extremamente importante, principalmente com Donald Trump na presidência. Quem não respeita as leis de imigração no país corre o risco de ser deportado e ter o sonho de trabalhar nos EUA adiado.

Com Trump na presidência, os brasileiros precisam estar preparados para enfrentar mais burocracia na emissão do visto de trabalho. Somente os estrangeiros altamente qualificados não serão tão impactados pelas novas políticas imigratórias, afinal, eles são acolhidos facilmente pelo mercado norte-americano.

sional), Qualifications summary(formação acadêmica), Languages and Key skills (idiomas e informática) e References (referência).

4 – Use o LinkedIn

O LinkedIn é uma rede social muito utilizada pelas empresas norte-americanas para publicar vagas de emprego e avaliar candidatos. Portanto, manter um perfil completo e atualizado no site é essencial para quem busca emprego nos Estados Unidos.

Na página de Job Search, é possível filtrar vagas de emprego de acordo com cargo, área de atuação, nome da empresa, palavra-chave e localidade. A busca por “Estados Unidos” nessa ferramenta gera 6.546.000 resultados.

5. Considere as cidades com mercado de trabalho mais promissor

Flórida e Nova Jersey são os estados americanos com a maior concentração de brasileiros. É possível procurar emprego nessas localidades ou considerar as cidades dos EUA que mais abrem postos de trabalho. A estimativa de crescimento na oferta de emprego vem sendo forte em Myrtle Beach (Carolina do Sul), Tucson (Arizona), Dallas (Texas), Phoenix (Arizona), Provo (Utah).

Quem pretende encontrar emprego na Flórida em 2019, deve se concentrar nas cidades com mercado de trabalho mais aquecido. Entre elas, estão: Cape Coral, Orlando, Naples, Deltona e Ocala.

 aí? Pronto para embarcar e tentar a sorte em território norte-americano? Restou alguma dúvida sobre a oferta de trabalho nos EUA para brasileiros em 2019? Deixe um comentário.

Governo do Japão oferece bolsas de estudo a brasileiros

Brasília – Para quem quer estudar fora do Brasil, adquirir conhecimento e ainda conhecer uma nova cultura, uma boa oportunidade será ofertada pelo governo do Japão. A partir de maio serão abertas inscrições para o programa anual de bolsas de estudos para estrangeiros.

As bolsas oferecidas em instituições japonesas, por meio do Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão, serão para cursos de graduação, escola técnica, curso profissionalizante e pesquisa acadêmica (pós-graduação).

O programa de bolsas inclui o pagamento da passagem aérea, isenção de taxas escolares e ajuda de custo mensal. A partida dos selecionados está prevista a partir de abril de 2020

Seleção

Para o programa de pesquisas, as inscrições vão de 2 a 29 de maio. Podem se candidatar pessoas com ensino superior completo e idade máxima de 34 anos em abril de 2020. No caso das bolsas de graduação, escola técnica e curso profissionalizante, serão aceitos candidatos com ensino médio concluído até 2019 e com até 24 anos de idade em abril de 2020. As inscrições vão de 3 a 28 de junho.

O calendário vale para candidatos que morem no Distrito Federal, Goiás e Tocantins. Os candidatos de outras regiões devem consultar informações no consulado local.

O processo seletivo inclui uma prova de língua japonesa, uma de língua inglesa, avaliação de projeto de pesquisa e uma entrevista.

Outras informações sobre as inscrições e detalhes do programa estão disponíveis no site da Embaixada do Japão.

Pulicado originalmente em:
https://d24am.com/educacao/governo-do-japao-oferece-bolsas-de-estudo-a-brasileiros/

TOEIC ou TOEFL? Qual a certificação ideal para você?

Entenda aqui a diferença entre TOEIC e TOEFL, qual vale mais a pena fazer, qual o mais fácil e demais informações.

TOEIC ou TOEFL?

Primeiro vamos aos nomes. Portanto, anote aí que:

  • TOEFL é a abreviação de Test oEnglish as a Foreign Language [Teste de Inglês como Língua Estrangeira]; e,
  • TOEIC é a abreviação de Test oEnglish for International Communication [Teste de Inglês para Comunicação Internacional].

Ambos testes são de propriedade da ETS (Educational Testing Service), empresa americana responsável pelos principais testes aplicados nos EUA. São eles quem aplicam testes parecidos aos nossos vestibulares em terras americanas. Alguns desses exames são SAT, GMAT, PRAXIS, MAPP, SIR II, entre outros. Como a ideia aqui é entender se vale a pena o TOEIC ou TOEFL, então vamos focar só neles.

TOEIC: um resumo

TOEIC é um teste voltado mais para a área de negócios. No entanto, atualmente mais de 5000 instituições [educacionais, empresas, multinacionais, governamentais, etc] aceitam esse exame como uma forma de admissão em seus programas ou cargos. Além disso, há empresas (multinacionais e grandes conglomerados) que utilizam o TOEIC para avaliar o progresso de seus colaboradores estrangeiros que não têm o inglês como língua materna.
O TOEIC  é composto de 200 questões, sendo 100 de compreensão auditiva e 100 de leitura. A ETS está aos poucos implantando as versões de escrita e fala ao TOEIC. Ou seja, muito em breve o candidato será avaliado em todas as competência comunicativas: fala, audição, escrita e leitura. Eles estão assim procurando atender as demandas do mercado no que diz respeito ao conhecimento da língua inglesa.

TOEFL: um resumo

Já o TOEFL, certamente o exame mais conhecido, é exigido principalmente por faculdades. Ou seja, enquanto o TOEIC tem um perfil mais corporativo (business), o TOEFL fica mais no perfil acadêmico (education). As faculdades, não só nos EUA mas também em vários outros países, costumam exigir de estudantes estrangeiros essa certificação. Cada faculdade pode estabelecer os critérios de nota exigida levando em conta o curso que a pessoa deseja entrar.

Dessa forma, o áudio e os textos neste exame são mais acadêmicos. O candidato ao TOEFL deve suportar uma maratona de 4,5 horas de prova, durante este período será avaliado nas 4 habilidades linguísticas: compreensão auditiva [listening], leitura [reading], expressão oral [speaking] e expressão escrita [writing]. O candidato deve, portanto, estar bem preparado para enfrentar este período de exames e assim alcançar uma boa nota (ou pelo menos a nota exigida pela faculdade que deseja ingressar)

TOEIC ou TOEFL: conclusão

Essas são as principais diferenças entre TOEIC e TOEFL. De forma bem resumida, o TOEIC é muito mais exigido no mundo corporativo e o TOEFL no mundo acadêmico. 

Saber qual você deve fazer dependerá dos seus objetivos. Isto é, se você quer fazer uma pós-graduação no Estados Unidos deverá obter o TOEFL. Caso a ideia seja se candidatar a uma vaga de gerente na Proctor & Gamble, então o melhor é ter o TOEIC. Para ter mais certeza sobre qual exame tirar é sempre recomendável ler os requisitos do programa educacional ou da vaga à qual você estará se candidatando. As universidades e  empresas sempre dão informações sobre isso.

Para encerrar, saiba que não tem essa de um ser mais fácil que o outro. Afinal, são exames que avaliam o seu nível de conhecimento da língua inglesa. Portanto, o segredo é estudar para se sair bem tanto em um quanto em outro.

Espero ter esclarecido um pouco sobre as diferenças entre TOEIC e TOEFL e, claro, ajudado você a decidir entre TOEIC ou TOEFL. Caso tenha mais dúvidas a respeito, visite o site da ETS e compare as informações dadas diretamente por eles.

Se você quiser mais informações, acesse nossas redes sociais para assistir um vídeo explicativo sobre as certificações!

Até a próxima!

Indústria 4.0 – Você sabe o que é?

Você já ouviu essa expressão por aí? Se sim, você consegue descrever o que é e quais as principais prerrogativas dessa nova revolução industrial?
Pra garantir que você esteja atualizado sobre essas novas e recentes mudanças no mercado, te trouxemos um texto com os principais pilares da industria 4.0

O termo refere-se a um conceito de indústria proposto recentemente e que engloba as principais inovações tecnológicas dos campos de automação, controle e tecnologia da informação, aplicadas aos processos de manufatura. A partir de Sistemas Cyber-Físicos, Internet das Coisas e Internet dos Serviços, os processos de produção tendem a se tornar cada vez mais eficientes, autônomos e customizáveis.

Isso significa um novo período no contexto das grandes revoluções industriais. Com as fábricas inteligentes, diversas mudanças ocorrerão na forma em que os produtos serão manufaturados, causando impactos em diversos setores do mercado.


O termo i se originou a partir de um projeto de estratégias do governo alemão voltadas à tecnologia. O termo foi usado pela primeira vez na Feira de Hannover em 2011. Em Outubro de 2012 o grupo responsável pelo projeto, ministrado por Siegfried Dais (Robert Bosch GmbH)  e Kagermann (acatech) apresentou um relatório de recomendações para o Governo Federal Alemão, a fim de planejar sua implantação. Então, em Abril de 2013 foi publicado na mesma feira um trabalho final sobre o desenvolvimento da industria 4.0. Seu fundamento básico implica que conectando máquinas, sistemas e ativos, as empresas poderão criar redes inteligentes ao longo de toda a cadeia de valor que podem controlar os módulos da produção de forma autônoma. Ou seja, as fábricas inteligentes terão a capacidade e autonomia para agendar manutenções, prever falhas nos processos e se adaptar aos requisitos e mudanças não planejadas na produção.

A industria 4.0 é uma realidade que se torna possível devido aos avanços tecnológicos da última década, aliados às tecnologias em desenvolvimento nos campos de tecnologia da informação e engenharia. As mais relevantes são:

  • Internet das coisas (Internet of Things – IoT): Consiste na conexão em rede de objetos físicos, ambientes, veículos e máquinas por meio de dispositivos eletrônicos embarcados que permitem a coleta e troca de dados. Sistemas que funcionam a base da Internet das Coisas e são dotados de sensores e atuadores são denominados de sistemas Cyber-físicos, e são a base da industria 4.0.
  • Big Data Analytics: São estruturas de dados muito extensas e complexas que utilizam novas abordagens para a captura, análise e gerenciamento de informações. Aplicada à industria 4.0, a tecnologia de Big Data consiste em 6Cs para lidar com informações relevantes: Conexão (à rede industrial, sensores e CLPs), Cloud (nuvem/dados por demanda), Cyber (modelo e memória), Conteúdo, Comunidade (compartilhamento das informações) e Customização (personalização e valores).
  • Segurança: Um dos principais desafios para o sucesso da quarta revolução industrial está na segurança e robustez dos sistemas de informação. Problemas como falhas de transmissão na comunicação máquina-máquina, ou até mesmo eventuais “engasgos” do sistema podem causar transtornos na produção. Com toda essa conectividade, também serão necessários sistemas que protejam o know-how da companhia, contido nos arquivos de controle dos processos.

Um dos maiores impactos causados pela indústria 4.0 será uma mudança que afetará o mercado como um todo. Consiste na criação de novos modelos de negócios. Em um mercado cada vez mais exigente, muitas empresas já procuram integrar ao produto necessidades e preferências específicas de cada cliente. A customização prévia do produto por parte dos consumidores tende a ser uma variável a mais no processo de manufatura, mas as fábricas inteligentes serão capazes de levar a personalização de cada cliente em consideração, se adaptando às preferências.

Outro ponto que será abalado pela quarta revolução industrial será a pesquisa e desenvolvimento nos campos de segurança em T.I., confiabilidade da produção e interação máquina-máquina. A tecnologia deverá se desenvolver continuamente para tornar viável a adaptação de empresas a este novo padrão de indústria que está surgindo.

Os profissionais também precisarão se adaptar, pois com fábricas ainda mais automatizadas novas demandas surgirão enquanto algumas deixarão de existir. Os trabalhos manuais e repetitivos já vem sendo substituídos por mão de obra automatizada, e com indústria 4.0 isso tende a continuar. Por outro lado, as demandas em pesquisa e desenvolvimento oferecerão oportunidades para profissionais tecnicamente capacitados, com formação multidisciplinar para compreender e trabalhar com a variedade de tecnologia que compõe uma fábrica inteligente.

Espero que esse texto tenha te trazido mais clareza sobre esse novo conceito e como tirar proveito dele para que você possa atualizar sua carreira e se destacar no mercado.

Até a próxima!


27 Profissões do Futuro. Are you ready?

Um levantamento divulgado no Mapa do Ensino Superior do Brasil 2018 que é publicado anualmente pelo Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp) indicou profissões muito interessantes que poderão surgir nos próximos anos de acordo com as novas demandas.

Na lista você encontrará as profissões organizadas por áreas de acordo com a Classificação Internacional Padronizada da Educação (ISCED) e poderá ver também sugestões de cursos superiores que poderão te colocar um pouco mais próximo das profissões do futuro.   Confira!!

Agricultura e Veterinária

Agricultor digital 

Função: Será o novo perfil de agricultor, pois junta tecnologias inovadoras que utilizam sistemas de geolocalização, internet, computador, smartphone e outros recursos digitais que tornam tudo mais fácil no campo.

Conhecimentos necessários: Tecnologia, métodos de agricultura de precisão, controle de drones que monitorem plantações, sistemas de análise de clima e tempo, estatística e Big Data.

Cursos relacionados: Engenharia Agronômica, Engenharia Agrícola e Agronomia.

Designer de máquinas agrícolas

Função: Trabalhará em busca de soluções seguindo padrões de sustentabilidade ambiental, econômica e social para as máquinas agrícolas.

Conhecimentos necessários: Expertises ligadas a área de design, agricultura e meio ambiente.

Cursos relacionados: Engenharia Agrícola, Engenharia Mecânica e Engenharia Ambiental.

Agricultor urbano

Função: Atuará acompanhando e arquitetando a evolução do cultivo de alimentos nas grandes cidades.

Conhecimentos necessários: Domínio de conhecimentos ligados a área de Engenharia Agrônoma, Nutrição, Agricultura e Urbanismo.

Cursos relacionados: Arquitetura e UrbanismoEngenharia AgronômicaAgricultura, e Engenharia Agrícola.

Ciências Sociais, Negócios e Direito

Defensor da ética tecnológica

Função: Será o intermediário entre humanos, robôs e Inteligência Artificial, estabelecendo as regras morais e éticas sob as máquinas que existirem.

Conhecimentos necessários: Conhecimentos em comunicação, filosofia e ética serão importantes para esse profissional.

Cursos relacionados: DireitoFilosofia e Ciência da Computação.


Gestor de novos negócios em Inteligência Artificial 

Função: Será responsável por definir, desenvolver e implementar programas eficazes para acelerar negócios em Inteligência Artificial (IA), incluindo funções administrativas e comerciais. 

Conhecimentos necessários: Serão necessárias experiências em plataforma de IA, Machine Learning e computação em nuvem, além de perfil comercial para vendas e conhecimento no desenvolvimento de novos negócios em grandes organizações.

Cursos relacionados: Engenharia de ComputaçãoAnálise de Dados e Ciência da Computação.


Gestor de influenciadores digitais

Função: Fará o papel de gerente responsável por verificar a veracidade dos seguidores e analisar os algoritmos dos influenciadores, de acordo com cada tipo de cliente.

Conhecimentos necessários: Análise de dados, computação, vendas, publicidade e marketing.

Cursos relacionados: Publicidade e PropagandaMarketing, Midialogia.


Gestor de RH & RB

Função: Esse profissional deverá ser um mediador entre humanos e máquinas/robôs, desenvolvendo melhores sistemas de trabalho em equipe. 

Conhecimentos necessários: Será necessário conhecimento em Psicologia, Neurociência, Recursos Humanos além de áreas como Machine Learning, Engenharia e Computação. 

Cursos relacionados: Psicologia, Engenharia da Computação e Medicina

Ciências, Matemática e Computação

Analista de dados da Internet das Coisas

Função: Atuará com análise de Big Data, buscando encontrar formas úteis de traduzir informações obtidas por meio de objetos utilizados no dia a dia, como dispositivos portáteis, carros e eletrodomésticos que são capazes de coletar e transmitir dados.

Conhecimentos necessários: Habilidade em reconhecimento de padrões e elaboração de perguntas difíceis e certeiras, além de apresentar conhecimentos em engenharia, estatística, resolução de problemas, comunicação e empreendedorismo. 

Cursos relacionados: Engenharia da Computação, Ciência da Computação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas.


Gestor de resíduos

Função: Atuará em paralelo com a área de políticas públicas e governo, gerenciando e desenvolvendo um direcionamento correto para os resíduos produzidos principalmente pela indústria. 

Conhecimentos necessários: Familiaridade com conceitos da Engenharia Química, Ecologia, Direito e Relações Públicas.

Cursos relacionados: Engenharia SanitáriaEngenharia AmbientalEngenharia Química e Química


Reconstrutor do ecossistema

Função: Reintroduzir plantas e animais que foram extintos em uma determinada região, a fim de criar paisagens resilientes e vibrantes.

Conhecimentos necessários: Entendimento sobre Ecologia, estudo do meio (urbano ou campo) e do clima/tempo.

Cursos relacionados: Engenharia Ambienta e Engenharia Florestal.

Educação

Desenvolvedor de materiais educacionais on-line

Função: Atuará no desenvolvimento de materiais inteligentes para a modalidade de ensino EaD.

Conhecimentos necessários: Serão imprescindíveis recursos de diagramação e editoração em projeto individual, criatividade, familiarização com softwares de edição de textos, imagens, apresentação e edição de vídeo.

Cursos relacionados: Design Gráfico, Midialogia, Comunicação Social e Educomunicação.


Mentor para o desenvolvimento do conhecimento

Função: Será responsável por indicar cursos específicos, sugerindo leituras e até viagens, ou aconselhar o departamento de desenvolvimento humano de uma empresa. 

Conhecimentos necessários: Conhecimentos em psicologia, inovação, educação e recursos humanos serão importantes. 

Cursos relacionados: Psicologia e Pedagogia


 Tutor de curiosidade

Função: Conselheiro que inspira e desperta a curiosidade nas pessoas. Também deve ensinar a arte da descoberta, contradizendo os modelos atuais de ensino com base em pautas pré-definidas, tanto no movimento das revoluções tecnológicas ou na história antiga do universo.

Conhecimentos necessários: Será importante ter conhecimento em direito, educação, psicologia e inovação.

Cursos relacionados: Psicologia e Pedagogia.


Professor digital

Função: Com a expansão do ensino EaD, o modelo de sala de aula virtual deve ser utilizado pelos docentes em busca do maior alcance de alunos. Essa é uma grande aposta para escalar os ganhos dos profissionais que vivem de transmitir o conhecimento. 

Conhecimentos necessários: Será preciso ter conhecimentos em matemática, estatística, software de apresentação de vídeo e estar familiarizado com interação digital.

Cursos relacionados: MatemáticaLetrasEstatísticaHistóriaGeografia e Comunicação Social.

Engenharia, Produção e Construção

Engenheiro climático

Função: Baseado nas condições climáticas, esse engenheiro será especializado em desenvolver novas tecnologias, agindo como uma espécie de controlador capacitado para interferir em diversos fenômenos da natureza, evitando desastres, por exemplo.

Conhecimentos necessários: Meteorologia, engenharia agrícola, cartografia e agronomia serão necessários. 

Cursos relacionados: Meteorologia


Especialista em impressão 3D de grande porte

Função: Este profissional será responsável por gerenciar operações com impressoras 3D para construir estruturas de grande porte. Uma espécie de ramificação da engenharia civil.

Conhecimentos necessários: Serão necessários conhecimentos em design, projetos, engenharia eletrônica e engenharia civil.

Cursos relacionados: Design, Engenharia de Materiais e Engenharia Civil


Minerador espacial

Função: Com a aumento da necessidade de elementos naturais para a indústria da transformação, e com a escassez dos mesmos, deverão ser exploradas novas fontes de minérios por este profissional.

Conhecimentos necessários: Robótica, engenharias, astronomia e geologia.

Cursos relacionados: Física, Engenharia Mecânica, Engenharia AeroespacialEngenharia de Controle e Automação e Engenharia de Minas e Energia.

Humanidades e Artes

Conservacionista de identidade nacional

Função: Com o aumento da globalização, manter a identidade nacional pode ser um trabalho necessário. As ferramentas digitais vão ajudar a cultivar a memória e existência de monumentos históricos e construções épicas importantes. 

Conhecimentos necessários: História, antropologia, tecnologias e artes em geral serão necessários.

Cursos relacionados: História, Antropologia e Biblioteconomia


Construtor de identidade empresarial

Função: Construir histórias que mostrem o diferencial das empresas, produtos e serviços será requisitado para aumentar o destaque no mercado competitivo, caracterizando pela dimensão emocional, envolvimento e engajamento, e não apenas pela dimensão técnica.

Conhecimentos necessários: Será importante ter conhecimento em publicidade, comunicação, história e sociologia.

Cursos relacionados: Marketing, Ciências Sociais e Publicidade e Propaganda.

Autor de jornadas de realidade aumentada

Função: Será responsável por projetar, escrever, criar, calibrar, construir e personalizar jornadas de realidade aumentada.

Conhecimentos necessários: Deverá ser criativo, ter conhecimento em jogos competitivos, multiplayer e, familiaridade com tecnologias de ponta no setor.

Cursos relacionados: Jogos Digitais e Design Gráfico.

Saúde e Bem-estar

Cientista de alimentos

Função: Com o aumento da população, a preocupação de consumir alimentos mais nutritivos pode dar espaço para dietas com ingredientes geneticamente modificados, e é nessa área que o Cientista de alimentos poderá atuar.

Conhecimentos necessários: em nutrição, fisiologia e genética serão imprescindíveis.

Cursos relacionados: Engenharia de Alimentos e Nutrição.


 Curador de memória pessoal

Função: Terá a função de conciliar materiais de diversas fontes, como mídias e arquivos pessoais, para refazer e formular experiências do passado para terceiros.

Conhecimentos necessários: História, fisiologia, neurociência, comunicação e informática.

Conhecimentos relacionados: Biblioteconomia, Psicologia e História.


Hacker genético

Função: Deverá trabalhar em pesquisas e desenvolvimento de tecnologias para proporcionar melhorias em níveis celulares e microbiológicos.

Conhecimentos necessários: Genética, computação, matemática, fisiologia e medicina.

Cursos relacionados: Medicina, Biomedicina e Ciências Biológicas.

Serviços

Controlador de tráfego multidimensional

Função: Será responsável pelo controle e gerenciamento do espaço rodoviário e aéreo, considerando inclusive drones e veículos autônomos. 

Conhecimentos necessários: O candidato a essa profissão deverá ser apto para lidar com ferramentas de Inteligência Artificial sofisticadas.

Cursos relacionados: LogísticaEngenharia de Transportes e Engenharia de Mobilidade.


Corretor de dados pessoais 

Função: Será responsável por acompanhar e comercializar dados pessoais de um cliente na busca de potencializar os ganhos em bolsas de dados nacionais e internacionais.

Conhecimentos necessários: Deverá ter perfil analítico, conhecimento do ambiente regulatório global e noções de finanças. 

Cursos relacionados: Economia, Estatística, AdministraçãoCiências Atuariais 


Guia de turismo espacial

Função: Será responsável, de acordo com a cultura adquirida com experiências e estudos, por elaborar roteiros para partes mais atrativas da órbita da Terra.

Conhecimentos necessários: Boa comunicação, usar as novas tecnologias de forma criativa e dominar o ambiente a ser explorado.

Cursos relacionados: Turismo e Engenharia Aeroespacial.


Técnico de manutenção de robôs pessoais

Função: Atender às demandas de manutenção dos robôs.

Conhecimentos necessários: Tecnologia, robótica e computação.

Cursos relacionados: Engenharia Mecatrônica e Engenharia da Computação

Sabemos também que as profissões que irão se consolidar nos próximos exigem extenso repertório de conhecimento, além de habilidades imprescidíveis como oratória, redação, domínio de um segundo idioma e temas atuais.

Prepare-se enquanto é tempo, o futuro está mais próximo do que pensamos.

*Este artigo foi originalmente publicado em : Querobolsa.com

Programas de Bolsa de Estudo para Abril e Maio. Confira!!

A partir deste mês, iremos compilar os principais programas de bolsas de estudo com inscrições abertas, para que você possa ficar atualizado das principais oportunidades e até mesmo, se candidatar a uma delas. Confira

O Santander está recebendo inscrições para o Programa de Bolsas Santander Ibero-Americanas. A empresa vai oferecer um total de 750 bolsas de estudo para intercâmbio em graduação e pós-graduação a estudantes brasileiros que queiram realizar seus estudos em outros países. As inscrições vão até o dia 7 de agosto.

Os países de destino disponíveis são Argentina, Colômbia, Chile, Espanha, México, Peru, Porto Rico, Portugal e Uruguai. O valor da bolsa é de 3 mil euros, que podem ser usados para custear despesas como taxa da universidade de destino (se houver), deslocamento, alimentação ou moradia.

As inscrições para as bolsas de estudo para intercâmbio do Santander devem ser feitas por meio do aplicativo Santander Universitário (disponível para Android e iOS). O processo seletivo para as bolsas serão realizados pelas instituições de ensino superior. Ou seja: é necessário conferir com a sua universidade como será o processo, e realizar os procedimentos adequados.

Universidade de Westminster recebe até dia 31 de maio as candidaturas para a bolsa Vice Chancellor. Trata-se de uma bolsa de graduação em Londres voltada a estudantes internacionais, vindos de países em desenvolvimento – como é o caso do Brasil. O apoio financeiro será oferecido a estudantes que tenham sido aceitos em um dos programas oferecidos pela universidade, sem restrição de área.

Estão abertas as inscrições para o Holland Scholarship, programa de bolsas de estudo financiado pelo Ministério Holandês da Educação, Ciência e Cultura. É uma parceria com universidades holandesas de pesquisa e ciências aplicadas. O auxílio, no valor de 5 mil euros, é destinado a estudantes estrangeiros de fora do Espaço Econômico Europeu (EEA), interessados em cursar bacharelado ou mestrado na Holanda.

A contribuição cobre os gastos referentes ao primeiro ano do curso. Por essa razão, o prazo final para se inscrever ao Holland Scholarship depende do curso escolhido. O período de candidatura varia entre 1º de fevereiro e 1º de maio de 2019.

A fundação Western Union está recebendo inscrições para seu programa Global Scholarship Program 2019. Esse programa oferecerá bolsas para alunos de graduação no valor de US$ 2.500, que devem ser abatidos dos tuition fees das universidades, faculdades ou escola em que eles estudam. As inscrições vão até 30 de abril.

A Universidade de Bolonha está recebendo candidaturas para bolsas de estudos de graduação e mestrado. As bolsas da Unibo são oferecidas em duas modalidades: na primeira, o estudante fica isento dos tuition fees da universidade; na segunda, ele recebe uma bolsa no valor de 11.000€(onze mil euros) para um ano de estudos.

As bolsas com inscrições abertas são para os programas de “First Cycle” da universidade, com três anos de duração, equivalentes à graduação no Brasil. Há também programas “Single Cycle”, que duram cinco anos, e são como uma graduação com mestrado junto. As inscrições vão até 30 de abril!

Aproveite para entrar nos sites das Universidades e ter acesso a mais detalhes, esperamos ter ajudado, vale ressaltar que atuamos com aplicação de TOEFL e TOEIC que são exames necessários para inscrição em algumas universidades.

Até a próxima!

Afinal, o que é o ‘diferencial competitivo’ em processos seletivos?

Muito se fala sobre os tais diferenciais competitivos e sua importância para a carreira no mercado de trabalho, não é mesmo? Mas, afinal, o que é considerado um diferencial competitivo no currículo? Será que tem a ver com a formação ou com características pessoais? Que qualidades as empresas buscam na hora da seleção?

Na prática, ter um diferencial competitivo significa ter algo único, difícil de ser copiado ou encontrado. No currículo, alguns elementos costumam fazer bastante diferença na corrida pela contratação, como curso de inglês, experiência profissional e capacitações. No entanto, por mais que esses elementos o tornem um profissional diferenciado, você não deve parar por aí. Existem outros atributos que podem colocá-lo em um patamar superior diante dos concorrentes. Confira alguns deles!

LIDERANÇA:
Essa característica faz com que o profissional consiga inspirar seus colegas em prol da efetivação de projetos, podendo influenciar até mesmo seus próprios gestores, que reconhecem de longe quem realmente se engaja e está em sintonia com os valores, os objetivos e as metas da organização. E vale ressaltar, não precisa ser chefe para liderar!

ESPECIALIZAÇÃO:
Normalmente, a primeira característica considerada como diferencial competitivo tem a ver com a educação formal. Um profissional que possui especialização sai na frente dos demais por reunir os conhecimentos necessários para desenvolver bem suas atividades e garantir uma melhor performance. Nesse caso, o diploma é mais do que uma formalização de que aquela pessoa está apta para o trabalho, significando também mais bagagem e investimento em cursos livres e educação continuada.

IDIOMAS:
Há algum tempo, o domínio do inglês era visto como um diferencial e tanto pelo mercado. Hoje, porém, a questão é de sobrevivência. E essa mudança se deve principalmente ao surgimento de processos e termos importados, além de um diálogo mais direto com pessoas de outras nacionalidades graças à quebra definitiva de barreiras causada pela expansão da internet. Portanto, invista no aprendizado de um idioma universal como o inglês, e priorize um terceiro idioma que esteja de acordo com seus interesses, se você está de olho naquela multinacional japonesa de tecnologia, investir no idioma pode ser um mega diferencial para conquistar a oportunidade.

ADAPTABILIDADE:
Sabe aquele profissional resistente à mudança, que morre de medo de qualquer alteração em sua rotina e que reage mal a imprevistos? Esse definitivamente não é o perfil procurado pelas empresas. Na realidade, o diferencial competitivo é justamente o contrário: facilidade de adaptação e flexibilidade, desde que sem perder o foco. Empresas valorizam profissionais que entendem que assim como a vida, haverão mudanças e desvios na trajetória corporativa, e adaptar-se a isso é essencial para desenvolver novas soluções e traçar novos planos.

E se você sente que precisa desenvolver essas características, fique tranquilo, pois com algumas pequenas adaptações e atitudes, você se tornará uma versão 2.0 de si mesmo, segue algumas sugestões:

  • Autoconhecimento – Reconhecer suas limitações é uma oportunidade de superá-las ou, pelo menos, minimizá-las. E é a comunhão entre suas falhas, competências e seus limites que formam o profissional que você é. Conhecer-se bem é uma maneira de lidar não só consigo mesmo, mas também com os outros, descobrir o que tem travado seu crescimento e até se você está seguindo o caminho certo profissionalmente
  • Aprenda algo novo – Aprender algo, mesmo que não tenha relação com a sua atividade, aumenta seu repertório e sua capacidade de criar soluções com visão mais ampla.
  • Marketing Pessoal – Estratégia que consiste em vender a si mesmo, de uma forma positiva. Você deve passar a observar melhor o ambiente, valorizar sua imagem e manter a naturalidade.
  • Construa seu nome – Invista em networking. Trate bem os colegas, estabelecendo um bom relacionamento interpessoal nas empresas por que passar. Aja com a mesma cordialidade com todos, independentemente do cargo que ocupem. Lembre-se: são essas pessoas e o comportamento que você tem com elas que vão guiá-lo, direta ou indiretamente, às melhores oportunidades profissionais, reforçando o ser humano único que você é. Humildade, valores éticos e capacidade de lidar bem com o outro: isso nunca sai de moda

Espero que essas dicas tenham sito úteis e que de algum modo, de auxiliem a se reposicionar e alcançar a sua melhor versão profissional.

Nós vemos no próximo post!