Afinal, o que é o ‘diferencial competitivo’ em processos seletivos?

Muito se fala sobre os tais diferenciais competitivos e sua importância para a carreira no mercado de trabalho, não é mesmo? Mas, afinal, o que é considerado um diferencial competitivo no currículo? Será que tem a ver com a formação ou com características pessoais? Que qualidades as empresas buscam na hora da seleção?

Na prática, ter um diferencial competitivo significa ter algo único, difícil de ser copiado ou encontrado. No currículo, alguns elementos costumam fazer bastante diferença na corrida pela contratação, como curso de inglês, experiência profissional e capacitações. No entanto, por mais que esses elementos o tornem um profissional diferenciado, você não deve parar por aí. Existem outros atributos que podem colocá-lo em um patamar superior diante dos concorrentes. Confira alguns deles!

LIDERANÇA:
Essa característica faz com que o profissional consiga inspirar seus colegas em prol da efetivação de projetos, podendo influenciar até mesmo seus próprios gestores, que reconhecem de longe quem realmente se engaja e está em sintonia com os valores, os objetivos e as metas da organização. E vale ressaltar, não precisa ser chefe para liderar!

ESPECIALIZAÇÃO:
Normalmente, a primeira característica considerada como diferencial competitivo tem a ver com a educação formal. Um profissional que possui especialização sai na frente dos demais por reunir os conhecimentos necessários para desenvolver bem suas atividades e garantir uma melhor performance. Nesse caso, o diploma é mais do que uma formalização de que aquela pessoa está apta para o trabalho, significando também mais bagagem e investimento em cursos livres e educação continuada.

IDIOMAS:
Há algum tempo, o domínio do inglês era visto como um diferencial e tanto pelo mercado. Hoje, porém, a questão é de sobrevivência. E essa mudança se deve principalmente ao surgimento de processos e termos importados, além de um diálogo mais direto com pessoas de outras nacionalidades graças à quebra definitiva de barreiras causada pela expansão da internet. Portanto, invista no aprendizado de um idioma universal como o inglês, e priorize um terceiro idioma que esteja de acordo com seus interesses, se você está de olho naquela multinacional japonesa de tecnologia, investir no idioma pode ser um mega diferencial para conquistar a oportunidade.

ADAPTABILIDADE:
Sabe aquele profissional resistente à mudança, que morre de medo de qualquer alteração em sua rotina e que reage mal a imprevistos? Esse definitivamente não é o perfil procurado pelas empresas. Na realidade, o diferencial competitivo é justamente o contrário: facilidade de adaptação e flexibilidade, desde que sem perder o foco. Empresas valorizam profissionais que entendem que assim como a vida, haverão mudanças e desvios na trajetória corporativa, e adaptar-se a isso é essencial para desenvolver novas soluções e traçar novos planos.

E se você sente que precisa desenvolver essas características, fique tranquilo, pois com algumas pequenas adaptações e atitudes, você se tornará uma versão 2.0 de si mesmo, segue algumas sugestões:

  • Autoconhecimento – Reconhecer suas limitações é uma oportunidade de superá-las ou, pelo menos, minimizá-las. E é a comunhão entre suas falhas, competências e seus limites que formam o profissional que você é. Conhecer-se bem é uma maneira de lidar não só consigo mesmo, mas também com os outros, descobrir o que tem travado seu crescimento e até se você está seguindo o caminho certo profissionalmente
  • Aprenda algo novo – Aprender algo, mesmo que não tenha relação com a sua atividade, aumenta seu repertório e sua capacidade de criar soluções com visão mais ampla.
  • Marketing Pessoal – Estratégia que consiste em vender a si mesmo, de uma forma positiva. Você deve passar a observar melhor o ambiente, valorizar sua imagem e manter a naturalidade.
  • Construa seu nome – Invista em networking. Trate bem os colegas, estabelecendo um bom relacionamento interpessoal nas empresas por que passar. Aja com a mesma cordialidade com todos, independentemente do cargo que ocupem. Lembre-se: são essas pessoas e o comportamento que você tem com elas que vão guiá-lo, direta ou indiretamente, às melhores oportunidades profissionais, reforçando o ser humano único que você é. Humildade, valores éticos e capacidade de lidar bem com o outro: isso nunca sai de moda

Espero que essas dicas tenham sito úteis e que de algum modo, de auxiliem a se reposicionar e alcançar a sua melhor versão profissional.

Nós vemos no próximo post!

Histórias de Sucesso: Lourival Barros, o ribeirinho que virou diretor de produção.

Este é Lourival Barros, nosso aluno e diretor de produção de uma fábrica do pólo de duas rodas em Manaus.
Nascido em Manicoré, teve uma infância simples e feliz como ribeirinho, mas a necessidade fez com que sua família mudasse para a capital em busca de melhorias.
.
Já em Manaus, começou a trabalhar para auxiliar nas despesas de casa, ao mesmo tempo que estudava, por acreditar que somente por meio da educação, alcançaria melhores oportunidades.
Aos 19 ingressou como auxiliar de montagem, na fábrica que atua até hoje.
Nesse meio tempo envolvido com os trabalhos e estudo, conheceu Márcia com quem começou a namorar e mais tarde, se casaria.
.
O esforço e dedicação no trabalho e estudos, lhe renderam reconhecimento ao longos dos 31 anos de empresa, sendo promovido a líder de produção, encarregado, chefe, supervisor e gerente e com muito foco e trabalho, foi promovido a gerente geral.
.
Aos 48 anos tomou a decisão de estudar inglês, pois sabia que o mercado mudava e que ele precisava acompanhar, iniciou seu curso no nível básico e evoluiu para os demais níveis. Sua determinação é de inspirar!
.
E em 2018 ele novamente foi promovido ao cargo de diretor de produção, no mesmo ano participou de um curso para grandes líderes de sua empresa, no Japão. Um curso totalmente em inglês.
Hoje, Lourival é esposo da Márcia, pai do Leonardo e do Caio, avô do Felipe, diretor de produção e a prova viva de que sucesso é a combinação de esforço, preparo educacional e oportunidade.

Invista você também, no seu sucesso!

Afinal, o que é ser produtivo?



Agora que sabemos que produtividade significa fazer as coisas certas – se não, CLICA AQUI pra ler nosso primeiro post – precisamos entender como priorizar as tarefas que importam e, desta forma, não cometer o erro clássico de“fazer por fazer”.
O primeiro passo é escrevendo uma lista de todas as suas tarefas e classificando-as em quatro categorias: importante, não importante, urgente e não urgente. Isso trará clareza do que de fato é importante e deve ser feito na ordem que faça sentido e tenha relevância.


O ideal é que esta análise se torne uma rotina diária ou, no máximo, semanal. Para torná-la mais fácil, uma dica é desenhar a matriz na parede ou em um quadro e organizar as tarefas com post-its.
Importante: a Matriz de Eisenhower pode ser destrinchada em dezenas de detalhes técnicos.
Para não esquecer…
Produtividade não significa “se matar” para concluir o máximo de tarefas em pouco tempo, mas sim priorizar apenas aquelas que importam e, com isso, trabalhar menos.
E não sou só eu que penso dessa forma:

“AS COISAS IMPORTANTES RARAMENTE SÃO URGENTES, E AS URGENTES RARAMENTE SÃO IMPORTANTES. COMO UM EMPREENDEDOR, É MUITO FÁCIL CAIR NA ARMADILHA DE ESTAR SEMPRE OCUPADO, MAS FAZER MUITAS COISAS NÃO É O QUE IMPORTA.” – TIM FERRISS
 
“NÃO É MUITO DIFÍCIL FAZER MUITAS COISAS. O MAIS DIFÍCIL É SABER ESCOLHER O QUE FAZER.” – ELBERT HUBBARD
 
“A VIDA É LONGA SE VOCÊ SABE INVESTIR SEU TEMPO NAQUILO QUE REALMENTE IMPORTA” – SÊNECA
Para entender melhor como (e por que) focar nas coisas certas pode ser o que falta para você encontrar a felicidade (ou pelo menos mais tranquilidade no seu dia a dia)  deixamos o link para você baixar um ebook .

CLIQUE AQUI

Produtividade não é sobre produzir mais, mas sim, ter tempo pro que importa.

Quantos textos e vídeos sobre como aumentar a sua produtividade você consumiu nos últimos 12 meses?

A não ser que você seja um alienígena e tenha acabado de chegar no planeta Terra, provavelmente já se deparou com tantos conteúdos sobre produtividade que mal consegue se lembrar da metade deles.

Diferentemente desses textos, hoje eu não vou ensinar sobre como produzir mais em menos tempo, mas sim oferecer um ponto de vista diferente (e não muito convencional) sobre produtividade.

Sim, aquela “produtividade” que todos nós buscamos para conseguir dar conta de nossos projetos, estudos e responsabilidades diárias. Aquela que, apesar de parecer tão óbvia e ao alcance de nossas mãos, sempre temos a sensação de que nunca conseguimos ter o suficiente.

Segundo o Google Ngram Viewer (ferramenta do Google que permite verificar o uso de uma determinada palavra ao longo do história), a primeira aparição da palavra “produtividade”, em inglês, foi em 1887.

Inicialmente, o termo era usado para se referir à eficiência de uma determinada máquina. Quanto mais uma determinada máquina produzisse em um dia, maior era a sua produtividade e, consequentemente, seu valor no mercado.

Até aí, tudo bem. Nada mais natural para um empresário no auge da Segunda Revolução Industrial querer produzir mais em menos tempo.

O problema, contudo, começou a surgir quando o termo “produtividade” começou a ser usado para determinar o valor de um ser humano.

Como alerta o matemático e programador Erik McClure, em seu clássico “A Falácia da Produtividade”:

“O PROBLEMA QUE SURGE SOBRE ESTA CULTURA DE “PRODUZIR MAIS” É QUE NOSSO MODELO DE PRODUTIVIDADE ESTÁ SUFOCANDO NOSSA HABILIDADE DE PENSAR. ATUALMENTE NÓS NÃO CONSEGUIMOS PENSAR NO MESMO RITMO EM QUE PRODUZIMOS. ESTAMOS TÃO FOCADOS EM TORNAR AS PESSOAS EM MÁQUINAS SUPER PRODUTIVAS QUE ESQUECEMOS QUE, COMO SERES HUMANOS, ESTAMOS RECEBENDO MUITO POUCO BENEFÍCIO DISSO TUDO”.

Produzir muito e não desfrutar dos benefícios… Soa familiar para você?

Acreditamos erroneamente que ter mais produtividade significa fazer mais coisas em menos tempo. O resultado é uma verdadeira pandemia de pessoas estressadas e até fisicamente doentes, que se preocupam tanto em eliminar o máximo de tarefas possíveis que acabam se esquecendo dos seus sonhos e propósitos.

Por este motivo, a partir de hoje, em parceria com a Você + Produtivo iremos fazer uma série de posts pra te ajudar a entender como organizar suas atividades, priorizar tarefas e garantir que você tenha tempo para o que importa.

Até o próximo post!